pirate shots

Will Oldham é um ator. Antes de ser conhecido como músico, já tinha dado suas cacetadas nos finais de noite de domingo do SBT como irmão da menininha no poço em O Resgate de Jéssica, por exemplo. Mas quem ouve o “I See a Darknees”, aquele mergulho profundo, deprezaço e lindão no lado mais sombrio da vida, mal pode imaginar que ele na verdade é um fanfarrão.

Quer dizer, na real, ele nunca escondeu um pouco desse lado causador, fosse naquele clipe do Kanye West, seja num trailer recente de um curta que basicamente trata dele ingerindo cogumelos alucinógenos – que foi o que, aliás, me fez lembrar dessa história.

Conheci Mr Oldham comendo um prataço de carne na Cardoso de Almeida, na semana em que o Neu seria inaugurado. Calça de tactel, uma longa trança nos cabelos que restavam ao redor do cocuruto calvo, e um ar de quem nunca estava muito presente na conversa, apesar de sempre ser o centro das atenções – contrário do Bill Calahan, com quem fui tomar um choppinho uma vez e o único momento em que o vi abrir a boca foi para pedir mais vinho , o que me fez entender completamente uma música do disco novo em que ele diz “The only words I said today are beer and thank you”.

No dia seguinte ele tocou em São Carlos e eu acabei indo junto na van porque um dia depois ele iria tocar em SP e eu não poderia ir no show. O tempo todo ele continuou parecendo um cara distante, mas que gostava de ser o centro das atenções. Um tipo estranho, não completamente antipático, mas que de prima você saca que não escolheria pra ser seu amigo.

Em seu último dia em SP, antes de partir para um show em Salvador, colamos com o Will no Genésio – era uma época em que ainda dava pra pagar os preços do bar – com o objetivo único de encher a cara. Nesse quesito, ele não decepcionou.

Num dado momento ele perguntou se conhecíamos o “pirate shot”. Aí ele explicou o que era – cheirar uma carreira de sal, espremer um limão em  um dos olhos e virar um shot de tequila, pra ficar com aquela cara contorcida de pirata.  Desafio lançado, alguns o acompanharam na brincadeira e eu fiquei de lado gravando a cena bisonha no celular.

A noite terminou estranha. Will ficou puto porque o Rolla, do Holger, disse que ele tinha comprado discos ruins do Roberto Carlos. Saiu andando sozinho pela Vila Madalena e nunca mais o vimos.

No dia seguinte postei o vídeo dos pirate shots no meu blog. Geral de Salvador já colou perguntando pra ele sobre a parada. Aparentemente ele ficou putaço com o post. Mandou uma mensagem pedindo pra retirar do ar na hora. Se pá não combinava com o Will Oldham dos discos. Todo mundo tem uma imagem a zelar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s